Minha televisão tem valor

Colunistas Márcio Torvano
E “Amor de Mãe”, Globo, está criando bons debates (outros nem tanto). É uma boa trama, isso é inegável. Agora, eu amo novela para me divertir. Novela para discutir política eu evito. Acho chato demais. Igual show, eu sou do tempo que show era para assistir cantor cantando. Hoje, o que mais tem é discurso político.

 

Mudando de assunto…

Sempre dou dicas de sites do YouTube. Muito bom assistir o Dráuzio Varella entrevistando personalidades de todos os setores.  Recomendo.

Sobre reprises…

O “Roda a Roda”, SBT, está reprisando programas de 2019. Minha mãe assisti todos os dias. Mesmo ela odiando reprises.

Não tem nada a ver com futebol, mas…

Semana passada, ouvi que o teríamos uma terceira guerra mundial. Deve ser a mesma galera que decretou que em 2019 teríamos ditadura no Brasil.

E o “Big Brother”, Globo, nem começou, e já tem mimimi contra este ou aquele candidato (não tem nomes confirmados). Só para lembrar, quando não gostam de uma pessoa, eu torço por ela. Sempre.

E vou indicar alguns famosos para entrar no “Big Brother”.

Gilberto Barros, Dado Dolabella, Victor Chaves, Naldo Benny, Fábio Assunção, Biel, Gracyanne Barbosa, Maria Alcina, Sônia Abrão, Renata Fan e Luciana Gimenez.

Um sonho?

Um programa em horário nobre do professor Pasquale Cipro Neto. Seria fantástico. Em qualquer emissora de televisão.

Outro dia…

Estava assistindo o “Chaves”, SBT, e passou o episódio que o Chaves pede um cigarro ao seu Madruga. Quando o cigarro está na mão do Kiko, ele segura de uma forma muito clara que é fumante. Faz até pose. Só para avisar mesmo.

Mês de janeiro tem pouco assunto. E aí já viu, jornalistas criativos noticiam cada coisa. Jesus! Principalmente jornalista esportivo. Outro dia, acabaram descobrindo que clube de futebol não gosta de usar camisa 24. Isso acontece desde sempre. Até na pelada da família.

E neste exato momento estou assistindo a série sobre o Chacrinha na Globo. Sempre surge aquela dúvida, o mimimi atualmente reclamaria do apresentador?

O Ratinho hoje em dia sofre com chatos que vivem reclamando.

Aproveitando…

Chacrinha é do tempo que artista fazia arte. Cantava e divertia o público. Não tinha lado político (ou pelo menos escondia bem) e nem ficava brigando.

E minha saudade vai para…

O Pedro de Lara. Um sujeito que talvez tenha recebido pouco valor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *