Moro com alguém que tem depressão, e agora?

Colunistas Erica Rodrigues

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país com maior número de depressivos nas Américas, com 5,8% da população, uma média de 12 milhões de pessoas.

Quando uma pessoa tem diagnóstico de transtorno depressivo, não é apenas a rotina dela que passa por alterações, mas também de todos que estão no dia a dia com ela.

O tratamento do transtorno é realizado com psicólogo(a) e psiquiatra, porém todos que estão no convívio diário com a pessoa pode ajudar ou piorar o quadro depressivo, é importante que essas pessoas entendem sobre a depressão e se possível também façam terapia, para aprender a lidar com as emoções e comportamentos que esse período pode gerar.

E então, como ajudar uma pessoa que mora com você e tem depressão?

  1. Não julgue – se você não entende a importância da saúde mental, tudo bem, é seu direito, (apesar de ser importante você entender que a ciência explica os transtornos mentais e não está vinculado a crença no sentido de existir ou não, é comprovado, existe) mas não fale para a pessoa que é frescura, não julgue o momento que ela está passando.

  2. Ouça o que ela tem a dizer – acolha o que ela está falando, escute, esteja atento(a), preste atenção, depois que ela terminar, faça pergunta como: o que posso fazer para te auxiliar?

  3. Reforce que a depressão tem tratamento e ótimas evidências de remissão de sintoma – assim como toda doença física, os transtornos mentais também tem tratamento e incentivar a pessoa a buscar profissionais específicos para o tratamento, é um ótimo caminho (entende-se por profissionais específicos, aqueles que estudam os transtornos – psicólogos(as) e psiquiatras).

Para um paciente com diagnóstico, poder contar com alguém nesse momento é fundamental e muito importante, então seja um(a) facilitador(a) desse processo.

Espero ter ajudado 😊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *