O ontem, o hoje e amanhã

Colunistas Nilson Martins

Numa coletiva realizada na terça-feira, no Hotel Premium, o prefeito reeleito Rogerio Lins, comparou sua campanha atual com a de 2016. Nos seus relatos, ele afirmou que em 2016, já candidato em campanha, foi tremendo à primeira feira livre na zona norte para cumprimentar o público. “Tinha que ficar procurando as pessoas para distribuir os santinhos quando depois de um tempo a campanha encorpou”. Na comparação com agora, a grande mudança com o reconhecimento através de seu trabalho pela cidade. “Foi maravilhoso o povo vindo em minha direção de braços abertos”, disse. Sobre como seria os investimentos após a posse, Rogério destacou que seu maior investimento nos próximos anos, será a continuidade na melhoria da saúde no município. 8

Hemodiálise e menos enchente

“Já avançamos muito e agora vamos contratar muitos médicos especialistas nas mais diversas áreas. Também vamos agilizar os exames, zerando a fila de espera. Nesse primeiro governo avançamos muito na estrutura. Já estamos na etapa final para a construção do Hospital da Criança com o início da construção ainda nesse ano. Teremos a tão esperada hemodiálise municipal, e isso vai melhorar a qualidade com o fim de sofrimento de muitas famílias”. Sobre as enchentes Lins prometeu o final da canalização de um trecho no Rochdale: “Pra nós uma canalização histórica que vem do parque das bicicletas e já estamos numa ‘curvinha’ pra chegar no piscinão”, disse comentando que o outro lado que vem da Radar (antiga distribuidora de bebidas) também vai desembocar no piscinão.

Onze novidades

E o Legislativo de Osasco renovou as cadeiras em 52%. Pelo menos onze novos vereadores serão diplomados em dezembro e tomarão posse no dia 1 de janeiro de 2021. Muitas surpresas com os resultados com uma eleição diversificada com muitos partidos. Mas o que mais chamou a atenção é que pela primeira vez teremos uma vereadora do PSOL – Juliana da Ativoz (foto) – que vai se juntar a outras três vereadoras: Ana Paula Rossi (PL), Lucia da Saúde (Podemos) e Cristiane Celegato (Republicanos). Dizer que ainda é pouco, mas finalmente desta vez avançou o voto feminino no Legislativo osasquense. <

As derrotas dos dois maiores partidos

Já o PT e o PSDB não conseguiram emplacar nenhum vereador. Para o PT faltaram apenas mais 92 votos para que Cida Cunha obtivesse a cadeira. A irmã do ex-deputado João Paulo Cunha teve 1.468 votos e foi a mais votada do partido, mas os votos não alcançaram os 10% do quociente eleitoral e nem entrou na lista da sobra que foi encerrada com a candidata do PSOL com 1.837; a última a entrar. Quanto ao PSDB, o partido teve a maior baixa desde a transferência de Celso Giglio – eleito prefeito em 1992 pelo PTB – que depois se transferiu para o partido tucano, acabando a sequência em 2004 quando o eleito foi o petista Emidio de Souza. Mas afirmar que pela primeira vez o PSDB não teve candidato a prefeito e teve apenas o total de 9.062 votos não elegendo nenhum vereador. Em 2016 foram eleitos Dr. Lindoso – o mais votado – De Paula e Didi. <

Quatro cidades tucanas

Mas se o PSDB não concorreu ao comando do executivo em Osasco, o partido cresceu muito na Região. São quatro cidades com o comando tucano: Santana de Parnaíba (Marcos Tonho), Barueri (Rubens Furlan), Carapicuíba (Marcos Neves) e Jandira (Dr. Sato). Algo que deixa o governador João Doria (PSDB) muito feliz. Já que ele vem sustentando que é candidato a presidência da República em 2022. A região somando as quatro cidades têm, aproximadamente 1 milhão de votos.


Os derrotados

Dentre os oito vereadores de Osasco que não emplacaram nesta eleição – três não concorreram – os destaques vão para o então decano Jair Assaf (DEM) com 1.434 votos, eleito pela primeira vez em 1976 – só ficou fora do Legislativo em 1982 (a eleição cabo a rabo em que escolhia um só partido de ponta a ponta) para ser vice de Celso Giglio em 1992. Mas Assaf voltou em 1996 e ficou vereador até essa última legislatura. Outro veterano é Toniolo, eleito em 1992, costumeiramente sempre o mais votado ficou vereador por sete legislaturas. Nesta eleição Toniolo (Podemos) recebeu 1.823 votos. <

Os campeões da região

Itapevi teve a maior percentual para a um candidato. Trata-se do jovem Igor Soares (Podemos) O candidato à reeleição obteve 105.494 votos o que dá 98% de aceitação na cidade. Um recorde não só na região como em toda Grande São Paulo, e talvez em todo o Estado. Esse resultado é fruto de um trabalho sério que transformou o município em quatros anos de mandato. Em seguida, na nossa região, temos outro fenômeno. Trata-se Rubens Furlan (PSDB) 85,35% o que dá 145.377 votos. Furlan foi eleito prefeito pela sexta vez. Em terceiro vem o prefeito de Carapicuíba Marcos Neves (PSDB) com 72,64% e 128.773 votos. Campeão de votos na região o prefeito Rogério Lins (Podemos) ficou em quarto com 60,94%, mas com votação recorde de 204.207 votos.

Vale a pena
A peça teatral Os filhos da mãe teve todos os ingressos vendidos para a primeira sessão, mas tem sessão extra às 19 horas. A apresentação é neste sábado no Teatro Aspro, localizado na Vila dos Rémédios/Osasco – Rua Joaquim Dias de Oliveira, 22. – Tel. 5555-5801. A dupla Willou e Watson (gêmeos) são considerados fenômenos no You Tube e grande sucesso de público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *