Osasco brilha na América do Sul aos seus 57 anos

O Calçadão da Antonio Agú no Centro de Osasco, principal área comercial da cidade na década de 80.

Quando de sua chegada ao Brasil, em 1893, Antônio Agú, adquiriu terras circunvizinhas à Capital Paulista, e nelas se fixou. Entre os diversos empreendimentos, Antônio Agú montou uma olaria, uma fábrica de tecidos e uma cartonagem, em sociedade com Narciso Sturlini. Em 1895, construiu uma estação ferroviária ofertando o à Estação de Ferro Sorocabana, a antiga FEPASA, pedindo à Diretoria da Empresa que a essa estação fosse dado o nome de Osasco, homenagem à sua Cidade natal, na Itália.
Dentre os novos imigrantes estava o banqueiro João Brícola, que havia construído uma casa de campo na região e deu apoio a Antônio Agú, na escolha do nome de Osasco. Em 1918, foi criado o Distrito de Paz, e 1938 e 1944, passou à Zona Distrital (15ª) do Distrito sede do Município de São Paulo e a 14º. Sub-Distrito, respectivamente. Em 1953 começou a luta pela emancipação, realizando-se a 13 de dezembro desse ano, o primeiro plebiscito. Cinco anos depois, o segundo plebiscito aprovou a emancipação de Osasco. Embora o resultado do segundo plebiscito tenha sido homologado, decorreu muito tempo para que a questão ficasse definitivamente resolvida. O desligamento de Osasco, da Capital, somente ocorreu com a realização em 4 de fevereiro de 1962, da eleição para a primeira administração. Desde então, a cidade não parou de crescer, atualmente é uma das principais do estado, perdendo apenas para a Capital e para Guarulhos. Em Osasco estão instaladas algumas das principais empresas do país como a matriz do Banco Bradesco, as emissoras de televisão SBT e RedeTV!, Submarino, maior empresa de comércio eletrônico brasileiro; e o centro de distribuição de grandes empresas como McDonalds, Ponto Frio e Coca-Cola. Empresas recentes como Ifood, Mercado Livre, Petz! e Atacadão também encontraram na cidade uma excelente oportunidade de investimento. Apesar de todos os problemas que a cidade vem enfrentando nos últimos anos, ela nunca perdeu aquele jeito de cidadezinha do interior, onde todo mundo se conhece. Apesar das mazelas, ela continua sendo a minha, a sua, a nossa Osasco. E como diz o hino da cidade: Osasco brilha na América do Sul e vai continuar brilhando por muito tempo se depender de sua população.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here