Rogério Lins permanece no Podemos e Marcos Neves assina PSDB

Colunistas Nilson Martins

Pelo menos três prefeitos que pertencem ao Consorcio CIOESTE e que reúne oito cidades da Região Oeste da Grande São Paulo, estão no PSDB. Com a abertura para troca partidária, das oito cidades apenas um trocou a bandeira e escolheu o partido tucano; o prefeito Marcos Neves de Carapicuíba que havia sido eleito pelo PV que agora soma aos chefes de executivo que já estavam no partido do governador João Dória: Rubens Furlan/Barueri e Elvis Cezar/Santana de Parnaíba. Dentre os que permaneceram em outras siglas está o prefeito de Osasco Rogério Lins/Podemos, Paulo Barufi/PTB de Jandira, Cotia Rogério Franco/ PSD, Pirapora Gregório Pontes/PSD e Vargem Grande Paulista Josué Ramos/PL.

Xô Covid

Sem dúvidas que o Covid-19 está causando uma enorme tristeza ao país com pessoas perdendo a vida em questão de semana ou até menos. Uma total transformação no Brasil com a economia entrando e um profundo desgaste com comércios e indústrias praticamente fechados. O fim do enorme desemprego que era uma grande aposta do presidente Jair Bolsonaro, vem rolando ribanceira abaixo. E o que chama atenção, também, é que as eleições deste ano que serviria para a renovação de cadeiras de vereadores e prefeitos ainda é uma incógnita se deve ou não acontecer. Para não causar mais pânico ainda, o novo presidente do TSE, ministro Luiz Roberto Barroso, que deve tomar posse agora em maio não vê dificuldades para o pleito ser transferido para dezembro.

João Paulo continua calado

E o ex-deputado federal João Paulo Cunha, parece estar livre da imputabilidade que existia para enfrentar candidaturas em eleições. Ocorre, porém, que até o momento não houve nenhuma manifestação à respeito de Cunha, pois não foi divulgado o nome do ministro que lhe concedeu a tal liberdade política, como também não foi apresentado nenhum documento que comprovasse as informações que foram divulgadas. Em 2013, João Paulo havia sido considerado inelegível após ser condenado em segunda instância; o que reza a Lei da Ficha Limpa, que resultou seu afastamento da política por oito anos, que deve vencer em 2021. Para um especialista no assunto a reabilitação do ex-deputado petista é somente criminal por ser réu primário o que não tem nada a ver com direitos políticos e Lei da Ficha Limpa.

Onze vereadores trocam partido em Osasco

Desde 15 de abril ficou definido os novos partidos para os vereadores que optaram pela troca da sigla, em respeito à Lei Eleitoral. Em Osasco, dos 21 edis, 11 trocaram: Ribamar Silva, eleito pelo PRP e Ricardo Silva, então no Republicanos, agora estão no PSD, que em Osasco é comandado por Lau Alencar. Já os vereadores Alex da Academia, eleito pelo PDT, Cláudio da Locadora (PV) e Jair Assaf (Pros), agora estão filiados ao DEM. Ralfi Silva saiu do Podemos para o Republicanos. O Republicanos também é a nova legenda do vereador dr. Lindoso, então no PSDB. No Republicanos, também, Severino Ferreira que deixou o PTB. Já o parlamentar Pelé da Cândida estava no PSC e agora é partidário do MDB, Lúcia da Saúde trocou o PSDC pelo Podemos e finalizando, Daniel Matias deixou o Patriotas e agora está no PP.

Partido de Furlan se fortalece

Em Barueri, dos 21 vereadores nove mudaram de partido. O PSDB, do prefeito Rubens Furlan, ficou mais fortalecido com a mudança: Fabião/ PSDB; Barrão/PDT; Neto Amorim/PSDB; Reinaldo Campos/PTB; Silvio Macedo/PSC; Toninho Furlan/PDT; Kaskata/PSL; Rodrigo Rodrigues/PSC; Fabinho Imperial/PSV. Doze vereadores continuam na mesma legenda pelo qual foram eleitos: Carlinhos do Açougue/DEM; Allan Miranda/PSDB; Chico Vilela/PTB; Sergio Baganha/PSDB; José de Melo/ Republicanos; Luiz Supermercado/DEM; Luizinho Camargo/PDT; Rafa da Gente/DEM; Roberto Mendonça/Solidariedade; Wilson Zuffa/ Republicanos; Zé Baiano/ MDB e Jânio/MDB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *