Um recado a sociedade

Colunistas Talita Andrade

Tão fácil dizer que mulheres são seres que precisam de proteção, quando quem as agridem são os homens.
Tão fácil dizer que mulheres são instáveis, impulsivas e hormonais demais, quando quem as desestabilizam são os homens.
Dizem que somos fracas, vulneráveis e indefesas, sendo que a força usada contra nossa natureza e estrutura é covardemente dos homens.
Dizem que devemos nos dar o respeito, quando as necessidades físicas dos homens são consideradas fisiológicas e normais até quando estamos cobertas e recuadas.
Nós mulheres precisamos lutar diariamente contra a balança, o assédio, o julgamento e a violência. Não temos o direito de viver, mas de sobreviver.

Fácil seria matar um leão por dia, como era com os homens. Nós mulheres nos calamos diante de agressão, violação física e moral, contextualização sexual, entre outras coisas.
Fácil seria ser avaliada por nosso cérebro e não pelo número da nossa calça.
Fácil seria poder sorrir sem se preocupar com a interpretação masculina ao receber tal gesto.
Fácil seria se o “Não” fosse compreendido instantaneamente.
Fácil seria se pudéssemos confiar nossos filhos aos parceiros e familiares, sem se preocupar com as “necessidades fisiológicas” (defendida como irracional) dos machos.

A mulher que não trabalha é dondoca e vagabunda. O homem que não trabalha é playboy. A mulher separada que trabalha em dois empregos para sustentar filho é irresponsável por não ter se preservado. O homem é um pai exemplar.
A mulher que bate em homem é louca. O homem que bate em mulher é porque ela procurou. A mulher que trai o parceiro é vagabunda. O homem que trai é “a natureza dele”.
A questão é que tudo é justificável quando o assunto é homem. Homens são práticos. Mulheres mesmo sendo uma bomba hormonal (sua natureza), não tem suas falhas justificadas.
A natureza masculina é compreendida independente do ato ser correto ou não. São prontamente defendidos ou ofuscados, inclusive por mulheres.
A natureza feminina é incompreendida, julgada, protestada, sempre como incorreta, infame e desnecessária.
Mas me orgulho em informar:
Mulher não é solo fofo.
Mulher é rocha, que internaliza tudo que a fere, para poder ter mais um dia de sobrevida.
Mulher consegue manter o gelo dentro do vulcão, para ser capaz de lidar com qualquer coisa para defender qualquer inocente.
Mulher é racional, sentimental e a filosofia em pessoa.
Mulher é o início e fim do mundo.

Se você acha que ser mulher é injusto, você está sendo mulher de um jeito errado. Injusto é você não conhecer o real valor e força da mulher!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *