Vilma Kano

“É com recortes de papel que junto meus próprios pedaços e ajudo milhares de pacientes oncológicos como eu”.

Compartilho com você a história da Vilma Kano (37), nascida em São Paulo e residente no bairro Butantã, lembra que com 3 anos já sabia ler, aos 5 anos fazia contas de multiplicação e seu passatempo principal era pintar as diversas roupas brancas que pedia para seus pais com frequência.
Comenta que sempre foi muito criativa, e decidiu seguir nessa área, estudou desenho na Escola Panamericana de Artes, no primeiro ano conquistou um prêmio de menção honrosa e foi contemplada com uma bolsa de estudos. Recorda que seu trabalho de TCC foi enviado para a Revista Five da Mercedes para um concurso, ficou em 2º lugar, momento que recebeu um convite para trabalhar no jornal Estadão como diagramadora e ilustradora.
Como designer em agências, e menciona com orgulho o desenvolvimento das embalagens do perfume Accordes do Boticário, lançado no São Paulo Fashion Week em 2010, e todo material promocional do Halls (formato bolinha) em nível nacional.
Vilma comenta que estava muito feliz e realizada, mas em 2012 recebeu a notícia, o diagnóstico de câncer, nesse momento sua vida mudou completamente, por 5 meses não conseguiu o tratamento necessário, agora sem receber convites de trabalho por conta de sua situação de saúde, pensou: “Qual o legado que vou deixar?”.
Sem renda, Vilma decidiu então começar a fazer artes com pedaços de papel e foi exatamente a venda dessas artes que conseguiu se manter financeiramente, momento que conseguiu enfim iniciar seu tratamento e luta contra o câncer.
Pouco tempo depois sua mãe que também estava com câncer veio a falecer, momento que sofreu muito.
Após a retirada dos ovários, e duas cirurgias de dupla mastectomia, a notícia final, seu câncer havia evoluído para o metastático, quando as células cancerígenas se espalham por todo o corpo e atingem outros órgãos, então percebeu que seu tratamento não teria fim.
Nesse momento Vilma decidiu continuar a vender suas obras e ajudar mulheres que estavam em tratamento pelo SUS, mas que não tinham renda financeira.
Relembra que uma mulher bateu em sua porta solicitando uma cesta básica, essa paciente veio da Bahia para ser tratada em São Paulo, após ser abandonada pelo marido após o diagnóstico do câncer. Com apenas a roupa do corpo, no ônibus foi acolhida por uma mulher que resolveu dar apoio e moradia. Vilma ajudou-a, e o dinheiro foi utilizado para a compra de uma máquina de costura. Hoje essa paciente costura e provém sua renda através dessa atividade.
Devido a crise, Vilma não pode mais ajudar dessa forma, mas ainda assim gostaria de continuar a ajudar mulheres, foi então que começou a montar kits de beleza, arrecadar cabelos e trocar por perucas com parceiros para oferecer autoestima para pacientes com câncer.
Hoje a Vilma precisa do medicamento Zometo, devido a osteoporose desenvolvida por conta de seu estado de saúde, porém ainda não conseguiu a liberação pelo SUS. Sua renda provém de sua aposentadoria por invalidez e a venda das suas obras expostas no seu parceiro a Molduraria São Paulo .
Mesmo diante de tantas dificuldades, Vilma montou sua Ong e realiza a distribuição 4 vezes por ano dos seus Kits no Hospital Pérola Byington.
Seu maior sonho é ter um espaço físico em Pinheiros, para que possa oferecer todos os dias da semana atividades para mulheres que sofrem com câncer, apesar de ter os voluntários, psicólogos, fisioterapeutas, doação das perucas, o espaço é fundamental para a ong continuar ajudando mais mulheres, pois algumas sofrem de linfedema uma inchaço no braço e uma dor crônica que pode ser evitada através da fisioterapia que deseja oferecer gratuitamente.
Ao perguntar o motivo, que apesar de estar em uma situação tão delicada, ainda assim ajudar outras mulheres, ela comenta que deseja deixar um legado.
E finaliza: O caminho é difícil mas a paisagem é linda! Problema todos nós temos, mas onde você dá o foco é o que determina sua jornada!
Contato: www.vilmakano.org

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here