Bia de Osasco começa a nadar por causa de bronquite e aos 15 anos é campeã brasileira

A recomendação médica foi direta, tipo ordem mesmo: ‘põe essa menina pra fazer natação’. A paciente, uma garotinha de 8 anos, estava ali um tanto assustada e enfrentando mais uma das fortes crises de bronquite.
A mãe, uma cearense que não deixa nada para depois, ouviu a receita e foi mapeando clubes. Apostando que a atividade esportiva seria o complemento medicinal da vez para a filhinha, gostou da estrutura do Sesi da Vila Leopoldina e logo estava à beira da piscina, mãos dadas com a menina.
Esse foi o primeiro contato de Beatriz Flausino Araújo com a natação, muito atenta à mudança repentina na rotina; afinal, teria que cumprir as horas na piscina como tratamento médico, levar muito a sério etc.
E levou mesmo. A menina crescia a cada braçada e hoje é uma atleta de destaque do Sesi, uma nadadora de Osasco fazendo sucesso nas piscinas do país.
Beatriz Flausino, agora com 15 anos, é conhecida como Bia Araújo e, nesses sete anos de natação, coleciona títulos regionais, estaduais e brasileiros. Aliás, no início do mês ela foi para a água na última competição nacional realizada na capital do Espírito Santo.
Em Vitória, a menina de Osasco defendeu o Sesi da Leopoldina no Campeonato Brasileiro Juvenil de Verão – Troféu Carlos Campos Sobrinho. Ela vai nos 200m medley, prova que não é a praia dela e fica nas eliminatórias;mas depois volta para os 100m peito, prova que ela se destaca, vai muito forte na classificação e, na sequência, parte para uma final braço a braço contra Stephanie Balduccini, do Paineiras Morumbi – medalha de prata muito valorizada.
E tem mais pódio para Bia de Osasco. A ferinha cai na água para os 200m peito, solta o braço com muita sede de vitória e chega lá cravando 02:42.60, campeã de ponta a ponta e para fechar o calendário dourando no Brasileiro.
E a bronquite? O tratamento segue mas faz tempo que ela deixou de ser alvo fácil porque a vida esportiva tem sido o principal pódio da menina. A cada treino, a cada medalha ela sabe que a melhor conquista é vencer a si própria, pois somente ela sente a baque quando o corpo é atacado. Mas Bia não dá trégua, supera os limites e cai na água levando a bronquite junto.
Aquela menininha de 8 aninhos e que ouvira o médico ordenar a natação como remédio, hoje é uma garota de 15 anos que segue obedecendo a receita mas como uma atleta vencedora e sonhadora. Sim, Bia de Osasco está no topo da categoria juvenil e na vitrine da nova geração de nadadores do Brasil.
Sobre a jovem carreira em busca da alta performance, o cuidado com a bronquite é um desafio diário e isso dificulta a rotina da osasquense. Mas por fechar o ano no pódio brasileiro, Bia mergulha em agradecimentos. “Nunca podemos desanimar em meio à tempestade, pois quando ela passa você estará mais forte”, filosofa a jovem atleta ao agradecer a família, ao Sesi e aos médicos que não desgrudam dela. “E assim estou firme e confiante”, completa a menina, já com olhar ainda mais desafiador para as águas de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here