Contra uma Pseudo Tolerância

“Não concordo com uma só palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-lo”, dizia Voltaire à Rousseau. Eis uma frase do tempo em que o termo “tolerância” significava o nobre ato de tolerar as diferenças e divergências de pensamento, sem necessidade de ter que omitir uma opinião contrária por receio de ser ofendido ou processado.

Nos tempos atuais o conceito de tolerância parece ter sido pervertido. Manifestar hoje opinião contrária a uma ideia, pessoa ou grupo social, tornou-se sinônimo de intolerância. O que antes era direito de discordar e argumentar contra alguém ou algo ao qual não concordávamos, passou a ser visto como ato de intolerância.  Em nome dessa “nova tolerância” surge uma militância que tenta silenciar o direito de cada um expressar livremente seu ponto de vista ou sua própria pessoal.

Como bem definiu D. A. Carson em A intolerância dos tolerantes[1], a “nova tolerância” – que não passa de uma perversão do real conceito de tolerância – representa uma forma peculiar de intolerância. Tolerar, que antes significava aceitar a existência de pontos de vistas diferentes, conviver respeitosamente com eles, mas mantendo o direito de expressar seu pensamento ou crença contrária, tornou-se agora uma espécie de ditadura de opinião.

Essa pseudo tolerância é entendida como aceitação e conivência com todas as opiniões, como se todas as opiniões fossem igualmente verdadeiras. Inibem assim o direito de discordar publicamente e nos tentam impor um esquizofrênico silêncio “politicamente correto”. Discordar do outro ou de seus comportamentos construídos ideologicamente tornou-se sinônimo de intolerância.

A verdadeira tolerância é um bem necessário para a vida em sociedade. Mas é lamentável constatar que grande parte do discurso sobre tolerância de certos “tolerantes” é, na prática, abusivamente intolerante. A bandeira da tolerância é frondosa e bravamente hasteada – sob patrocínio internacional, inclusive! – quando se pretende cobrar direitos de certas minorias oprimidas (o que em alguns casos pode ser justo). Mas, ai daquele que se atrever a pensar diferente, discordar, questionar e se opor a isso! Os “pseudos tolerantes” se levantarão unidos numa marcha revolucionária para impor sua pauta ideológica àqueles a quem acusarão de “intolerantes”. Quanta incoerência…

A “nova tolerância” é, na verdade, a mesma intolerância de sempre. Carson afirma que esse “novo tipo de tolerância é socialmente perigoso e intelectualmente debilitante, gerando verdadeira intolerância em relação a todos que desejam permanecer firmes em suas crenças”.

De fato, esse falso discurso de tolerância é socialmente perigoso porque isola as pessoas no individualismo e excentricidade. Emitir opinião ou juízo sobre o mérito de ideias é agora entendido como invasão ou intromissão na vida alheia; e mesmo que o outro esteja enganado sobre suas ideias ou comportamentos, a “nova tolerância” quer nos obrigar a “fazer vista grossa”, sob pena de sofrermos algum tipo de processo judicial se manifestarmos opinião ou atitude contrária.

Essa falsa tolerância é ainda mais nefasta por ser “intelectualmente debilitante”. Quando uma sociedade criminaliza a manifestação de ideias discordantes e impede a liberdade de expressão daqueles que pensam diferente, é sinal de que ela está intelectualmente debilitada. Essa debilidade intelectual fica constada quando observamos pessoas ou grupos sociais que, em nome da tolerância que tentam defender, impedem ou atacam violentamente aqueles que deles discordam.

Não sou seguidor da filosofia de Voltaire, mas nesse ponto ele parece ter razão: “posso não concordar com uma só palavra de quem pensa diferente de mim, mas defenderei até a morte o direito de cada um dizê-lo”.

 

Siga-nos no www.instagram.com/rogeriosantos.kenosis

[1] Carson, D. A. A intolerância dos tolerantes. Traduzido por Érica Campos – São Paulo : Cultura Cristã, 2013.

1 COMENTÁRIO

  1. Desde que não ofenda ou desrespeite o outro!
    O problema é ainda estão tentando fazer melhor, mas fazendo do mesmo jeito….
    Não #tolerancia o problema…. Muito menos #intolerancia.
    O problema é que tolerar não é o mesmo que respeitar.
    E ainda insistem em #tolerancia
    São outros tempos….

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here