E vamos às urnas

Colunistas Nilson Martins

A partir dessa sexta-feira, 25 estamos a dois dias para iniciar a campanha eleitoral. O que deve ocorrer na zero hora de domingo do dia 27 de setembro, servirá a todas cidades brasileiras. De acordo com o TSE, no estado de São Paulo estão registradas – por enquanto – 1.233 candidaturas para prefeito e 35.914 registros para vereador. São dados que devem aumentar, assim que a Justiça Eleitoral vai homologando as atas das convenções partidárias que se encerram dia 16 deste mês.

Um com muito, outro com pouco

Aqui em nossa região fizemos o levantamento em três cidades: Osasco, Carapicuíba e Barueri. Em nossa pesquisa constatamos que em Osasco teremos sete candidaturas para prefeito. Rogério Lins (Podemos e mais 14 siglas), Emidio de Souza (PT e mais dois partidos), Dr. Lindoso (Republicanos e mais quatro partidos*) Marcos Souza (Solidariedade), Dr. Gaspar (Democracia Cristã), Josimery Matos (PSTU) e Simony dos Anjos (PSOL). *Deixar claro que tanto o PT e o Republicanos estão com problemas nos partidos PTB e PMB, respectivamente, por interferência da executiva nacional de ambas as siglas. No PTB houve a indicação de Silvio Neves para a vice de Emidio, que contestada pela sigla nacional, proibindo coligações com partidos denominados de esquerda. No Republicanos, houve a aprovação do PMB municipal e que, também , foi contestada pela nacional, direcionando o apoio à candidatura Rogério Lins.

Já em Carapicuíba …

Na vizinha cidade Carapicuíba tem onze candidaturas para prefeito da cidade: Marcos Neves (PSDB e mais 10 siglas), Neia Costa (PDT e Progressistas), Sergio Ribeiro (PT e PTC), Dr. Henrique Oswaldo Aparicio Jr (PTB), Wilamy Keneddy Fernandes (PSTU), Vasco da Gama Junior (PSL) Professora Sonia (PSD e mais dois partidos), Ricardo Antonio Marcusso (PSOL), Edimar Santos (PRTB), Luiz Soares Teixeira (PMB) e Amanda Cristina Sotero (PCdoB). Em Barueri, sem novidades o prefeito Rubens Furlan do PSDB tem o apoio de outros 14 partidos. E em campanha vai ter os seguintes candidatados concorrendo ao mesmo cargo: Baltasar Rosa (PT), Alexandre Ricon (PSOL) e Reinaldo Monteiro da Silva (PROS).

Muito a explicar

Voltando a Osasco, a candidatura do médico Dr. Gaspar para a prefeitura chamou atenção. Há mais de um ano ele já vinha afirmando que sairia candidato a prefeito e que não abriria mão desta decisão, pois havia a certeza que seria eleito. Sem mostrar os devidos motivos pela mudança nas afirmações, ele se juntou à candidatura do Dr. Lindoso alegando ser o candidato a vice na chapa do Republicano. Em contrapartida a filha, ex-vereadora Karen Gaspar, filiada no MDB está pré-candidata como vereadora. Um entrevero com Lindoso que escolheu um coronel militar da PM, obrigou Gaspar voltar ao que dizia há mais de doze meses. Ou seja, sem apoio e acordo, vai sair ele e o vice pelo DC (Democracia Cristã). Uma perguntinha: E a filha Karen que sai num partido de coligação com Rogério Lins?

Sem vice e sem vereador

Outro enrosco em Osasco é o ainda vice de Emidio de Souza. Silvio Neves foi o escolhido na convenção de seu partido para ser o vice do candidato do PT. Tudo ia bem, até que a executiva nacional se reuniu e em decisão dos membros houve a negativa para coligações do PTB com o DEM, PSDB e partidos de esquerda – PT, PSOL, PSTU, PCdoB. A comemoração de Emidio e Neves parece que durou pouco, pois o caso já foi enviado ao TSE que em breve decidirá se Neves vai continuar vice de Emidio ou fica fora das eleições. Outro detalhe do PTB é que na ata do dia 10 de setembro, divulgada pelo TSE não houve nenhum nome para candidatura a vereador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *