Fundação Casa e Associação Hurra distribuem cestas básicas em Osasco e São Paulo

Capa Cidades

A Fundação CASA e a Associação Hurra entregam nesta quarta (11) e quinta-feira (12) 275 cestas básicas e cartões alimentação, com recarga por três meses no valor de R$ 100, para familiares de adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação em 20 centros socioeducativos nas cidades de São Paulo e Osasco.  

As famílias beneficiadas são aquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social por causa da pandemia da Covid-19, uma vez que não conseguem obter renda por conta do isolamento social, necessário para evitar a propagação do novo coronavírus. Os centros socioeducativos pertencem à Divisão Regional Metropolitana Noroeste (DRMNO), uma das oito administrações localizadas da Fundação CASA. 

É a segunda vez neste ano que as instituições unem esforços para atender aos familiares. A primeira ocorreu em junho, quando foram entregues 473 cestas básicas e cartões alimentação. Desta vez, as recargas dos cartões alimentação serão para os meses de novembro e dezembro de 2020 e janeiro de 2021. 

Nesta quarta (11), até às 15h, 126 famílias recebem as cestas e os cartões no auditório do Complexo Raposo Tavares, em São Paulo. Para evitar aglomeração, todas as entregas foram previamente agendadas. São 106 familiares de jovens atendidos em centros da capital – CASAs Ipê, Cedro, Nogueira, Leopoldina, Pirituba, Jardim São Luiz I e II, Jatobá e Nova Aroeira – e 20 famílias de adolescentes atendidos nos CASAs Osasco I e II, em Osasco. 

Já na quinta-feira (12), a partir das 10h, a entrega agendada acontece no auditório do Complexo Vila Maria. Serão mais 149 famílias beneficiadas, cujos adolescentes encontram-se em atendimento nos nove centros socioeducativos do Complexo – CASAs Bela Vista, Belém, Governador Mário Covas, João do Pulo, Nova Vida, Ouro Preto, Paulista, São Paulo e Vila Guilherme. O endereço do local da entrega é Avenida Condessa Elizabeth de Robiano, 450, Belenzinho, São Paulo. 

“Muitas famílias dos adolescentes atendidos na Fundação CASA vivem em situação de vulnerabilidade social e a pandemia acentuou essa desigualdade. A ação é uma forma de unir esforços para conseguir auxiliá-las”, explica o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa. 

Segundo a diretora da Divisão Regional Metropolitana Noroeste, Adriana Pereira Gomes de Souza, o trabalho conjunto com a Associação HURRA foi importante para viabilizar mais esta iniciativa. “A organização é muito parceira e, mesmo com as atividades presenciais suspensas nos centros, mantém o vínculo, sensibilizada com a situação dos familiares dos nossos jovens em atendimento”, avalia a diretora da DRMNO. “A maioria das famílias sobrevivem de atividades no mercado de trabalho informal.” 

A Associação HURRA ensina rúgbi para mais de 300 adolescentes atendidos em centos socioeducativos do Complexo Vila Maria. O foco é utilizar o esporte como meio para transformação dos indivíduos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *