Novinhas de Barueri contra favorito Osasco e na inspiração de novembro passado

Colunistas Esportes Márcio Silvio

Novembro de 2019 no Liberatão de Presidente Altino. Jogando em casa e com um timaço, Osasco era favorito para devolver a derrota sofrida na partida de ida e, por fim, levantar o título estadual.

Mas ficou no quase. A equipe da casa abriu dois a zero e encaminhou o título. Acontece que as novinhas de Barueri arrepiaram e levaram a decisão para o tie-break e calaram o ginásio com 3 a 2, parciais em 25 a 22, 25 a 20, 24 a 26, 22 a 25 e 12 a 15.

Quase um ano depois as equipes voltam a se enfrentar em decisão e, por isso, cabe resgatar aquela final. E por que? Porque o roteiro é o mesmo: Osasco com um timão e o Tricolor com novinhas – a maioria desconhecida.

Na terça-feira rolou o fechamento da fase e Osasco foi a Barueri e fez 3 a 1 para cravar o segundo lugar na classificação e a vantagem nas semifinais. Qual vantagem? Mandar o segundo jogo em casa – Osasco também tinha essa vantagem naquele novembro.

O duelo de agora não vale título mas é por vaga à decisão do mesmo. São as semifinais que começam nesse sábado e com a partida de volta na terça-feira, 13. As estrelas de Osasco voltam a jogar no ginásio José Corrêa e para calar as novinhas; depois tem a partida de volta no Liberatão de Presidente Altino. Sim, tudo muito igual a 2019 mas, é certo, as celebridades querem mudar o curso para um roteiro vencedor, espantando esse fantasma.

E as novinhas? Terça-feira elas perderam a mão nos dois primeiros sets e Osasco fez 25 a 20 e 25 a 19; no terceiro elas reagiram com 25 a 21 mas a superioridade osasquense voltou com tudo para 25 a 13, números finais.

Luizomar de Moura tem uma rede muito potente com Tandara de um lado e Tai Santos de outro; tem Jaque que tanto ataca forte como também é valente na defesa, além de Bia que não jogou – Jaque ficou no banco e entrou nos lances finais do quarto set. Quanto a eficiência da líbero Camila Brait, sempre em altíssimo nível. Só nesse parágrafo, campeãs olímpicas e todas selecionáveis.

De volta ao sem estrelas Barueri, se perdeu Lorenne que agora está no Flamengo, vem com outra novinha prometendo – a oposta Lorrayna, 21 anos, iniciou no banco mas quando entrou foi para tomar conta do ataque, arrebentando com 19 pontos, atrás apenas da braçuda Tandara com ferozes 26.

Sim, as novinhas de Barueri podem dificultar as coisas se ajustarem a mão como no terceiro set. Quanto a Osasco, fato que é um time constelação mas, também é fato, tem novembro de 2019 como lição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *