Televisão que persegue

Colunistas Márcio Torvano

E o famoso fez uma festa nesse momento difícil do mundo. Sério? Nossa! Só um famoso faz e frequenta festas nessa época do ano? Jesus! Santa hipocrisia.

Só para citar, pobre na periferia também faz festa. Aqui perto de casa tem todo dia. Com churrasco e tudo mais. E eu jamais vou ficar de fiscal de famoso ou de anônimo. Sempre escuto o papo bobo de boicote. Aí que compro mesmo. Agora, costumo pensar em boicote quando alguma empresa deixa de patrocinar por pressão de rede social.

E como já disse aqui uma vez, eu jamais vou participar de campanha alguma. Não quero e não sou exemplo para ninguém.

Mudando de assunto…

E começou “Êta Mundo Bom!” no “Vale a Pena Ver de Novo”, Globo. Resumindo, tudo virou um “Vale a Pena Ver de Novo”. Tudo é reprise na televisão.

Pior de tudo é reprise de jogo de futebol velho. E ainda narrado como se fosse algo inédito.

Voltando ao assunto…

Neste exato momento vejo um programa de televisão caçando famoso na rua (que não está em casa). Ridículo!

Ainda sobre este exato momento…

Sônia Abrão entrevistando Silvia Poppovic. Apresentadora demitida, de forma surpreendente, da Band. Triste.

Programa de televisão falando de doença?

Ou minha mãe troca pelo SBT ou por algum programa religioso.

Para não perder o costume…

Continuam criando heróis e vilões. Esse é o Brasil que eu conheço.

E lembrei algo importante.

Sempre ouvi que quem assistia “Big Brother”, Globo, era um sujeito menor. Não era uma pessoa de bom intelecto. Sofria até gozação de falsos intelectuais. Estranho que agora tudo mudou. Mundo esquisito.

Eu continuo torcendo contra qualquer queridinho da internet. E gosto dos perseguidos.

E você sabe aquelas moças que sorteiam números da Tele Sena no SBT? Uma das talentosas é a Flávia Monteiro.

Já na reprise de “A Escrava Isaura”, Record…

Ainda tem ator entrando na trama. Interessante. A novela é ótima.

Não lembro se citei, mas semana passada completei 15 anos de jornalismo. Fico feliz que nunca fui hipócrita e sempre falei o que pensava. Apesar que muita gente não está preparada para ouvir coisas sinceras. Acontece.

E minha saudade vai para…

O ator e diretor Fábio Junqueira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *