Agora é Superliga, Osasco estreia segunda em Curitiba e na terça tem Barueri no Rio

Colunistas Esportes Márcio Silvio

O principal campeonato do vôlei brasileiro já está em andamento com a categoria masculina, agora chega a vez da feminina. Dois jogos dão largada à Superliga nessa segunda-feira, 9, destaque para o campeão paulista Osasco na casa do Curitiba; Pinheiros x Sesi Bauru fecham a noite. E na terça é a vez do São Paulo Barueri contra o Fluminense.

O nacional vem para se reabilitar nesse ano medonho sob a pandemia do coronavírus. Lembrando, a Superliga havia encerrado a primeira fase e com os oito times prontinhos para as quartas de final – meados de março, a Confederação Brasileira de Vôlei segue o o protocolo do esporte mundial e para tudo.

A quarentena durou sete meses até o retorno do vôlei com o Campeonato Paulista vencido por Osasco num grande duelo contra Bauru. Na sequência, a CBV mandou o Troféu Supervôlei, torneio tiro curto para quitar aquele quadrangular interrompido pelo coronavírus. As oito equipes que não cumpriram a 2ª fase por causa da pandemia, pagaram a tabela em Saquarema, Rio de Janeiro.

Osasco estreou contra Bauru e eliminou o rival no tie-break; na sequência enfrentou o Praia Clube e sem nenhuma chance diante da equipe que levantaria o troféu. Barueri também foi para o torneio e caiu no primeiro jogo diante do Minas.

Afinal, o que todo esse relato tem a ver com a Superliga que começa segunda-feira? É que o torcedor fica naquela de medir as equipes para o nacional. Então, como o Supervôlei reuniu as oito melhores do último nacional, é uma excelente ferramenta de consulta.

Três paulistas foram para o torneio e apenas um avançou – Barueri pegou logo o Itambé Minas e tomou 3 a 1; no duelo estadual, Osasco eliminou Bauru por 3 a 2 e, nas semifinais, pegou o Praia Clube e levou 3 a 1. Na outra semifinal deu Flamengo 3 a 2 no Minas e, na decisão do título, o Praia meteu 3 a 0 no Fla. Portanto, entre os grandes do vôlei brasileiro, apenas Osasco conseguiu chegar às semifinais.

Sim, as duas equipes mineiras seguem diferenciadas e o Flamengo sinaliza que pode crescer muito. Quanto aos paulistas, apesar de ter um grande elenco o Sesi Bauru vem mostrando instabilidade e ingenuidade até. No entanto, mudou o comando técnico e isso pode fazer o motor girar.

Barueri vai manter o que mostrou no Paulista, vencendo as equipes parelhas e roubando alguns sets dos grandes, nada além. Em nível técnico, vai no mano a mano contra Pinheiros; já o São Caetano entra para valorizar cada momento em quadra, só cumpre tabela. A equipe do ABC foi rebaixada à Superliga B mas teve convite da CBV para retornar – em razão de vagas abertas.

Não é preciso consultar oráculos para cravar Minas, Barueri, Praia, Bauru, Flamengo, Osasco, Curitiba, Fluminense e Pinheiros na 2ª fase do nacional. Se prevalecer a foto tirada pelo Supervôlei, também não há mistérios quanto aos favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *