Câmara aprova doação de bens e serviços para quitação de dívida

Os vereadores osasquenses aprovaram, na última terça-feira (13), a criação de um novo método de débitos de pessoas físicas e jurídicas inscritas na dívida ativa do Município de Osasco. O Projeto de Lei Complementar 07/2018 autoriza a administração direta e indireta a receber bens móveis e imóveis, além de serviços como instrumento de quitação dessas dívidas.
Segundo o autor da proposta, Vereador Alex Sá (PDT), a ideia é possibilitar que altos valores inscritos na dívida ativa do Município possam ser ressarcidos aos cofres públicos. “São bilhões de uma dívida que está totalmente perdida”, explica o parlamentar.  Ele citou como exemplos de grandes devedores empresas como a Concretex e o antigo Hospital Montreal, que foi à falência.
O projeto de Alex Sá foi aprovado em segunda discussão e, agora, segue para o Prefeito Rogério Lins (PODE), que tem prerrogativa de sancioná-lo ou vetá-lo. Durante a votação, a matéria recebeu o apoio de todos os parlamentares e muitos deles usaram a Tribuna para se justificar.
O Vereador Jair Assaf (PROS) espera que, em caso de sanção, o projeto ajude a sanar o déficit habitacional de Osasco. “Vamos esperar que a prefeitura sancione para dar condições de regularizar aquilo que está faltando em nossa cidade”.
Para o Vereador Didi (PSDB), que defende a causa da moradia, é importante garantir que haja tratamento igual para pobres e ricos ao se fazer a compensação de bens pelas dívidas. O parlamentar também defende a criação de moradias populares nas áreas que, por ventura, sejam dadas em pagamento a dívidas com o Município.
O Vereador Tinha Di Ferreira (PTB) lembrou que o projeto já vinha sendo discutido na Câmara desde o ano passado. “Temos que aprovar, fazer sancionar e, se vetar, derrubar o veto para que a lei seja aplicada na cidade”, afirma Tinha. O parlamentar defende a criação de uma comissão de acompanhamento para que os devedores possam ser cobrados com mais agilidade, garantindo recursos financeiros para o Município.
Os vereadores Daniel Matias (PRP) e Toniolo (PCdoB) defenderam a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os grandes devedores em Osasco.
Daniel Matias sugeriu que a CPI seja criada nos moldes da instituída em São Paulo, que recuperou cerca de R$ 1,5 bilhão em dívidas. “Vamos estar em audiência com o novo presidente da Câmara Municipal de São Paulo para poder elucidar melhor este assunto”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here