Em ritmo de campanha

Colunistas Nilson Martins

Rogério Lins (Podemos), esteve reunido na noite do último sábado com seus coordenadores, líderes de partidos e pré-candidatos a vereador; aqueles que compõem a Coligação Partidária Osasco Cada Vez Mais Nossa. Lins tem ao seu lado 16 partidos: Avante, Cidadania, Democratas, MDB, Patriota, PC do B, PDT, PL, Podemos, Progressistas, PSDB, PSB, PSD, PTC, Rede e PMB. Aliança soma mais de 450 candidatos a vereador, do total de 743 em Osasco. “Esse time é mais do que uma aliança política partidária, é uma aliança de compromisso e de amor por Osasco. Agradeço a cada pré-candidato e a cada pré-candidata que está conosco nessa trajetória. Agradeço minha vice Ana Maria Rossi bem como a todos os presidentes dos partidos da nossa coligação”, enalteceu Lins.

Dez com muito trabalho

Dr. Lindoso, candidato do Republicanos, está confiante em sua campanha. Recordar 2016, quando foi o vereador mais votado e por dois anos presidiu o Legislativo de Osasco. “O dez do meu partido representa qualidade, a excelência, a camisa dez; a nota dez. Estou trabalhando para ser o prefeito que o osasquense merece”, afirmou com muito entusiasmo o cirurgião oftalmo. Já o ex-prefeito Emidio de Souza, atualmente deputado estadual, afirmou estar alavancando sua campanha visitando bairros e visitando antigos amigos e admiradores.

PT e PSL com a mesma bandeira

A surpresa da região está em Itapevi que tem como candidato o prefeito Igor Soares numa coligação que reuniu onze partidos. Mas, chamou atenção ter Partido dos Trabalhadores e PSL juntos. PSL é o partido pelo qual foi eleito o presidente Jair Bolsonaro. Igor teve rápida ascensão. Foi vereador, se elegeu deputado estadual e se tornou prefeito de Itapevi; agora procura a reeleição. Concorre também: Cowboy Nei (Solidariedade e Patriota), Carlos Nascimento (PDT e Rede) e Professor Silvio Marcio (PSOL).

Médico está confiante

Em Jandira, o Doutor Sato está de volta. O Japa Já participou de muitas campanhas para prefeito na cidade. Ele acha que desta vez é o seu momento. “Estou com um vice muito forte na cidade; Pit Piteri e desta vez vamos sair vitoriosos”, garantiu o médico nissei. Mas vai enfrentar o atual prefeito Paulo Barufi (PTB)numa coligação com mais quatro partidos: PMN, Podemos, PRTB e PL. Candidatos também: Alcides Siqueira (PDT), Marcelinho (PSD), Professora Vera PMB, Zezinho (PT, Avante e PCdoB) e Sargento Machado (REDE).

Silvinho, paz e amor

Em Santana de Parnaíba, o ex-prefeito Silvinho Peccioli (PSD) está de volta na disputa para prefeito. Afastado do poder há vários anos ele espera recuperar boa parte de seus eleitores que, quando da sua última eleição ele chegou a ter quase 93% dos eleitores da cidade. Elvis Cezar (PSDB), atual prefeito, indicou o vereador tucano Marcos Tonho para sua sucessão. Concorrem também: Dr. Daniel Junior (PSOL), Dr. Danilo Ferraresi (PTB e PSC) e Juliana Capitã (PRTB).

Se não for eu, vai o filho

Vitorioso em sete legislaturas, o osasquense
Antonio Aparecido Toniolo; que por diversas vezes
foi o mais votado, agora, por receio que algo de errado ocorra nesta curta eleição, está vindo com o “Plano B”. Sempre eleito como Toniolo desta vez inovou como Toniolo Filho. O motivo, caso sua candidatura seja impugnada pelo TRE por ter havido condenação nas contas. Isso quando foi presidente da Câmara. É aí que o tal “Plano B” entra em ação, já que ele poderá substituir a candidatura. Neste caso, a escolha é o filho. Para Edu Eder, advogado especializado em eleições, não há necessidade para tanto receio. “Na eleição de 2018, a maioria dos casos idênticos ao de Toniolo não foram considerados graves pela Justiça Eleitoral. Acho que nessa deva ocorrer o mesmo procedimento”, garantiu o causídico afirmando ainda que o prazo final para troca é dia 26 de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *