Igreja forte

Colunistas Sem Mordaça

Em cada eleição municipal, candidato a vereador apoiado pela Igreja Universal e sempre desconhecido da maioria do eleitorado osasquense, chega lá. Em eleições anteriores a surpresa e depois a reeleição foi de Gilmar Romano, na sequência na eleição de 2016, o candidato apoiado pela igreja e eleito foi Ricardo Silva e na eleição do último domingo, mais uma vez, um nome desconhecido do eleitorado em geral, praticamente sem divulgação, foi eleito com 4.970 votos, Joel Nunes, o quarto mais votado.

Têm a força

O prefeito de Itapevi, Igor Soares (PODE) foi reeleito com quase a unanimidade dos votos válidos, 98%, praticamente a maior aprovação do país. Outros destaques ficam para o prefeito de Barueri que se reelegeu para o sexto mandato com 85,19%, Marcos Neves reeleito com 72,64% em Carapicuiba e Rogério Lins, reeleito com 60,94% dos votos válidos em Osasco,

Sem surpresa

Como era esperado, o atual presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva, foi o mais votado entre os 736 postulantes a uma cadeira no legislativo. Ribamar volta à Câmara para cumprir um novo mandato com os votos recebidos de 5.998 osasquenses.

Velha guarda
Com o resultado das urnas, além do vereador Mario Luiz Guide ( 8 mandatos) e que não se candidatou, a Casa de Leis na próxima legislatura não terá mais três recordistas de mandatos, Jair Assaf (DEM) e Toniolo (PODE) com sete (7) mandatos cada e Didi (PSDB) com seis (6). Agora os detentores do maior número de mandatos, após serem reeleitos no último domingo, são Claudio da Locadora (DEM) e Josias da Juco (PSD), ambos que a partir de janeiro vão cumprir o quarto mandato.

É penta

Zé Carlos Santa Maria não desiste nunca. É um obstinado. Pela quinta vez ele se candidatou a vereador de Osasco, já bateu na trave, já foi suplente e chegou até assumir a cadeira por um período na atual legislatura mas agora, ele teve o sucesso procurado desde as eleições municipais de 2004, 2008, 2012 e 2016, sendo eleito vereador de Osasco pelo partido Patriota com 2.745 votos.

Ainda é pouco
Nestas eleições, Osasco supera o número de vereadoras eleitas para um mandato à Câmara Municipal. O máximo de eleitas até hoje foram três e neste ano foram quatro, a saber: Ana Paula Rossi (PL), Cristiane Celegato (REPUBLICANOS), Francisca Jenilúcia Ribeiro de Andrade, a Lúcia da Saúde (PODE) e Juliana Gomes Curvelo, a Juliana da Ativoz, do PSOL.

Renovação
Do total de 21 vereadores da Câmara de Osasco, Mario Luiz Guide e Dra. Régia não se candidataram e Dr. Lindoso foi candidato a prefeito e dos demais que tentaram se reeleger, oito (8) não tiveram sucesso, a saber, Toniolo, Jair Assaf, Didi, Ricardo Silva, De Paula, Alex da Academia, Tinha Di Ferreira e Daniel Matias. Os reeleitos foram Ribamar Silva, Ralfi Silva, Ana Paula Rossi, Lúcia da Saúde, Batista Comunidade, Claudio da Locadora, Ni da Pizzaria, Rogério Santos, Josias da Juco e Pelé da Cândida, portanto teremos onze (11) novos vereadores com mais de 50% de renovação.

Pra análise
De um total de 567.361 eleitores em Osasco, 160.178 não compareceram (28,23%) e dos 407.183 votantes, tivemos 335.074 votos válidos, 25.649 votos em branco (6,30%) e 46.460 votos nulos (11,41%), o que resulta 45,94 % na somatória de brancos, nulos e abstenções, traduzindo, quase metade do eleitorado não escolheu o prefeito da cidade. Quanto aos votos válidos num total de 335.074, Rogério Lins obteve 204.207 (60,04%), Dr. Lindoso 66.543 (19,86%), Emidio de Souza 44.849 (13.38%), Simony dos anjos 15202 (4,54%), Dateninha 2244 (0,67%) e Reinaldo Mota 2029 (0,61%).

Derretendo

Por brigas internas entre suas principais lideranças, o PSDB de Osasco acabou desmantelado e sob intervenção do diretório estadual e sucumbiu nas últimas eleições em Osasco, não teve candidato a prefeito e também não conseguiu eleger nenhum vereador, o que não acontecia há dezenas de anos desde a criação do partido. Na região Oeste da Grande São Paulo, o PSDB continua forte, com as eleições dos prefeitos Marcos Neves (Carapicuiba), Rubens Furlan (Barueri), Dr. Sato (Jandira) e Marcos Tonho (Santana de Parnaíba). Que falta fez a liderança do saudoso Celso Giglio!.

Migrou

O diretor do jornal Folha Evangélica, Paulo Júnior (PP) já foi vereador na vizinha Carapicuiba e neste ano, após concorrer sem sucesso à vereança em Osasco nas eleições de 2012 e 2016, teve êxito, recebeu 2.363 votos e foi um dos 21 eleitos.

Invencível

Rubens Furlan disputou nove (9) eleições em seus quarenta e quatro anos na política e sempre sendo eleito com votações espetaculares. Nunca foi derrotado. Foi vereador e presidente da Câmara, deputado estadual, deputado federal e agora, com mais de 85% dos votos válidos, foi reeleito no primeiro turno para comandar Barueri durante seu sexto mandato de prefeito. É uma lenda viva na política brasileira.

O campeão

De mandatos de vereador em nossa região Oeste é José de Melo (Republicanos) de Barueri, reeleito para desempenhar o seu nono (9) mandato no legislativo barueriense. Outro destaque naquela Casa de Leis é o vereador Jânio Gonçalves que atualmente está no sétimo mandato mas não tentou a reeleição, passando o bastão para o seu filho Levi Jânio (Avante), eleito com 3.219 votos.

Bem-vindas
O máximo de vereadoras em um só mandato na Câmara de Barueri foram duas (2), inclusive na atual legislatura não há nenhuma vereadora entre os 21 componentes. Mas para o próximo ano, um feito a se comemorar, aquela Casa de Leis terá a presença de quatro (4) mulheres que foram eleitas vereadoras, a saber: Cris da Maternal (PSDB), Dra. Claudia (PDT), Mary Rodrigues (PSDB) e Tânia Gianelli (DEM). O universo político, felizmente, começa a ter a participação de mais mulheres.

Contramão
Enquanto que Osasco e Barueri terão cada um, quatro (4) vereadoras para cumprir o mandato de 2021/2024, Carapicuiba que atualmente possui três mulheres no legislativo, vai ficar sem nenhuma, pois para ocupar as 17 cadeiras, só foram eleitos pessoas do sexo masculino. Uma pena!

Sem aumento
Por meio da Resolução 3/2020 da Câmara de Osasco fica mantido para a XV Legislatura – quadriênio 2021/2024, o mesmo subsídio mensal aos vereadores e que foi fixado em 4 de junho de 2012, subsídio este que valeu para os quadriênios de 2013/2016, 2017/2020 e que valerá para 2021/2024. Em outras palavras, o valor que os novos vereadores eleitos receberão a partir de janeiro de 2021 será o mesmo de janeiro de 2013.

Aprovado
Na coletiva desta quarta-feira na sede do PL Osasco, perguntado sobre a administração atual do prefeito Rogério Lins, Francisco Rossi não titubeou e lascou uma nota sete (7), aprovando o governo de Lins mas quanto ao segundo governo que se inicia em janeiro próximo, Rossi bem como a vice-prefeita reeleita Ana Maria Rossi, afirmaram que para melhorar a administração, devem ser trocados assessores.

É possível!
Rossi na coletiva deixou claro que pela trajetória política, experiência no legislativo e executivo e ainda na vida privada, a sua filha Ana Paula Rossi, reeleita vereadora de Osasco, tem todas as condições para exercer qualquer cargo no setor público municipal, estadual ou federal e entre os quais, ser a primeira mulher prefeita de Osasco. Ana Paula prefeita é um sonho que Francisco Rossi demonstra há muito tempo.

É tetra

Ele nunca desistiu de seu sonho, ser prefeito de Jandira. Disputou sem sucesso em 2008, 2012 e 2016 e agora em 2020, na quarta tentativa Henri Hajime Sato, o doutor Sato (PSDB), contrariando o favoritismo apontado ao atual prefeito Paulo Barufi (PTB), que buscava reeleger-se, foi o vencedor do pleito e vai comandar a cidade pelos próximos quatro anos. Lutar sempre, desistir jamais!

Marcha à ré

Nas eleições municipais de Osasco em 2012, Maluco Beleza (PHS) foi eleito vereador com 5.831 votos. Em 2016 pelo PTB, obteve 1.716 votos e ficou na suplência e no último domingo, concorrendo pelo DEM à vereança, Maluco Beleza recebeu apenas 153 votos.

Salada de siglas
Com a proibição das coligações de partidos nas eleições proporcionais, novidade deste ano, resultou em um número maior de agremiações partidárias com representatividade no legislativo. Em Osasco teremos na nova legislatura a partir de janeiro, treze (13) partidos com vereadores, a saber: PSD (2), Republicanos (3), PL (2), Avante (1), Podemos (3), DEM (1), Patriota (2), PP (2), PDT (1), Rede (1), MDB (1), PSB (1) e PSOL (1).

Segue o jogo
Desde que não haja alterações no atual cenário político, o prefeito Rogério Lins, reeleito para o segundo mandato, contará a partir de janeiro, entre os 21 vereadores eleitos, com uma forte base de apoio no legislativo com dezessete (17) vereadores. Apenas quatro (4) foram eleitos em partidos opositores ao atual prefeito.

Família em alta
Dois amigos nossos, nascidos em Osasco, Carlos Eduardo Piteri (Piti Piteri) e José Roberto Piteri (Beto Piteri), o primeiro é vice do Doutor Sato, eleito prefeito de Jandira e o segundo, reeleito vice-prefeito, de Rubens Furlan, que governará Barueri pela sexta vez.

Maioria
Dos 21 vereadores eleitos em Osasco no último domingo, dez (10) se declararam brancos e onze (11) que se declararam pretos ou pardos, a partir de primeiro de janeiro representarão mais de 50% das cadeiras do legislativo.

Outros tempos
O Partido dos Trabalhadores a exemplo das eleições de 2016 em Osasco, não conseguiu mais uma vez, no último domingo, eleger pelo menos um vereador. Os principais expoentes do partido ex-prefeito e atual deputado estadual Emidio de Souza e o ex-deputado federal João Paulo Cunha não comungam dos mesmos objetivos e nestas eleições nomes conhecidos do eleitorado em Osasco não se candidataram à vereança, entre os quais, Aluisio Pinheiro, João Goes, Valmir Prascidelli, Marcos Martins, Aguimarães, Nelsinho, Valdir Roque e além de outros que deixaram a sigla neste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *