O que você vai ser quando crescer?

Colunistas Erica Rodrigues

Quem nunca ouviu essa pergunta na infância que atire a primeira pedra.

Acredito que quase todos(as) já ouviram, pode ser que você não lembra devido a idade de quando você foi questiono(a), mas quase certeza que foi.

Desde a infância já somos “obrigados” a pensar sobre o futuro, já aprendemos que temos que pensar lá na frente, por mais que na época nós não levamos tão a sério, na psicologia aprendemos que todas as nossas questões psicológicas são multifatoriais, ou seja, genética, ambiente e social, esses questionamentos na infância fazem parte do ambiente em que estamos inseridos e geram aprendizagem.

E então respondemos: ah quero ser médico(a), professor (a), ter minha empresa, pintor, artista e assim por diante, de imediato o que nos vem a cabeça não é o que queremos SER e sim a profissão que pretendemos TER.

Você leitor, consegue perceber a diferença do SER para TER?

Precisamos todos tomar cuidado para que os papéis sociais que ocupamos, não se resumam no que somos.

Hoje eu TENHO a profissão de psicóloga, eu não SOU psicóloga, porque psicologia não me resume, essa é minha profissão e o papel social que ocupo.

Quando vamos pensar no nosso SER, precisamos pensar de forma mais autêntica e de acordo com a nossa personalidade.

Então, aprenda comigo! Quando alguém perguntar: Quem é você?

Pense em respostas como: SOU uma pessoa formada em tal coisa, sou autêntica, espontânea, feliz, as vezes um pouco estressada e quero as coisas um pouco rápido. ESTOU casada, sou mãe e costumo ser muito dedicada à minha família e todo que me cercam.

Consegue perceber a diferença no exemplo dado?

Alguns papéis sociais nós estamos nele, podemos deixar de estar em qualquer momento, agora quem somos é algo intrínseco está na personalidade.

Espero que reflitam sobre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *