Trabalho não para

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, continua se recuperando dos ferimentos causados pela explosão na fogueira junina ocorrida numa tradicional festa do servidor. Após doze dias internados ele foi liberado para ficar em sua residência, mas continua com restrições médicas para o total restabelecimento das feridas causadas no rápido incêndio. Com isso, o prefeito vem despachando fora do seu gabinete no Paço Municipal. E pelas redes sociais mantém contato com a população. Na tarde de terça-feira ele se utilizou de um vídeo para avisar a todos que os ajustes para a implantação do bilhete único na cidade estariam prontos e o projeto estaria sendo enviado à Câmara Municipal. E tem até data para o início; dia 1 de dezembro.

A cereja do bolo

“Estamos atendendo uma reivindicação histórica de muitos anos da nossa população; o que era um compromisso do nosso governo a partir de dezembro se tornará realidade”. 2019, está sendo para o prefeito um ano de muitas realizações: Hospital Veterinário inaugurado há 60 dias, está sendo considerado como um grande presente para a população mais carente. A redução da criminalidade e outra surpresa na habitação, quando recentemente ele conseguiu através da Justiça, uma liminar para que, dos 960, pelo menos 670 apartamentos do Conjunto Habitacional Miguel Costa, fossem ocupados por diversas famílias que moravam em barracos nas periferias. A maioria numa parte do Jardim Rochdale, onde as enchentes sempre predominaram. Havia uma obstrução do Exército para realizar a ocupação naquela área, por isso a necessidade da intervenção judicial. E ainda este ano ele entrega mais 300 moradias no Conjunto Alemanha, no extremo Sul da cidade, ao lado Metalúrgicos.

 

Mais água que etanol

Muitos postos de combustíveis de Osasco, tiveram a “grata surpresa” de serem vistoriados nas bombas de combustíveis com as suspeitas ou indícios de fraude. Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo, é órgão responsável pelas verificações e autuações. Os postos que certamente tiveram ou teriam muito a explicar são justamente aqueles com preços dos combustíveis bem abaixo do que seria o normal. Fora isso, muitos ainda abastecem com quantidade menor àquelas mostrada na bomba. Que voltem sempre.

 

PSDB se antecipa

No dia 5 deste mês, o Diretório Estadual do PSDB-SP havia encaminhado aos presidentes dos diretórios municipais um link onde será possível preencher um relatório digital a respeito da situação política do município para as eleições do próximo ano, conforme resolução DESP 01/2019. O prazo final para o encaminhamento do relatório foi alterado para o dia 01 de setembro. Osasco não perdeu tempo. O atual presidente do diretório, o ex-prefeito Silas Bortolosso, convocou uma reunião e o assunto foi debatido.

 

Chega de corruptos

Coube ao vereador Didi de Oliveira escancarar o verbo sobre as escolhas de candidatos. O vereador da Zona Norte foi bem específico em afirmar sobre a necessidade de uma limpeza dentro da sigla, ao afirmar que tornou inviável a disputa com pessoas corruptas para participar do pleito ano que vem. “Temos que fazer um pente fino. O nosso país só está do jeito que está por causa da corrupção”. Um assunto que os presentes, certamente, ficaram se indagando se o vereador estava se referindo aos munícipes interessados em candidaturas, ou os de nível federal como o ex-senador e atual deputado federal Aécio Neves, o de Goiás Marconi Perillo ou Beto Richa do Paraná, que até chegou a dormir na cadeia.

 

Quem será?

Dizer que a disputa para prefeito dentro do PSDB de Osasco, está bem concorrida. Temos aí uma concorrência interna com pelo menos três interessados que afirmam não desistir do projeto prefeitura de Osasco. O ex-presidente da Câmara Dr. Elissandro Lindoso é que vem despontando com um trabalho de ir para as ruas propagar a CPI da Saúde e pelas redes sociais lançar uma chuvarada de críticas a atual administração. Concorrente direto, vem seu colega, o vereador De Paula que, aos mais próximos, afirma que sua legenda está garantida por Brasília. Correndo por fora o ex-vereador Dr. André Sacco. “Antes não saía candidato a prefeito em respeito ao Dr. Celso Giglio”, justifica. Sacco conseguiu se livrar do processo em que o MP pedia sua condenação, através se levantamentos na “Operação Lava Jato”. O mote de sua campanha deverá ser a injustiça cometida a ele, por ficar preso por semanas, e dois meses atrás ser inocentado pela Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here